quinta-feira, 24 de maio de 2007

Charrua na rua? Xô... rua!

Cara senhora Margarida Moreira,

Tem graça, tem muita graça, a história do professor que foi por si suspenso pelo facto de ter, pretensamente, dito uma piada acerca da licenciatura de Sócrates, o nosso primeiro. Presumo que a excelentíssima directora da DREN, senhora certamente de elevados padrões de exigência humorística, não tenha gostado da suposta anedota de Fernando Charrua e vai daí que tenha decidido instaurar-lhe um processo. Eu, confesso-lhe, também não percebi onde estava a piada naquilo que ele terá dito. Na verdade, ouvi muitas outras anedotas muito mais deliciosas e bem sacadas. Se quiser ouvi-las, escreva-me. Mas pergunto-me se não se terá excedido no caso, se era efectivamente necessário agir com tamanha rispidez? Saberá certamente que nem todos nascemos com a mesma propensão para o humor! E por isso me pergunto de onde lhe virá essa sua tão declarada falta de humor que a leva a enveredar por processos tão pidescos quanto este desagradável caso à frente do qual apôs o seu nome? Será a senhora assim tão mazinha ou para o torcida ou, na verdade, aquilo de que não gostou foi mesmo da falta de piada da piada? Já sei, foi isso mesmo, queria rir-se a bom rir e Charrua desiludiu-a! Ora, compreenda, nem todos são formados em Ciências da Comunicação, pelo que nem todos têm a capacidade de fazer humor que a senhora terá, isto, naturalmente, na assunção de que o riso é o primeiro instrumento ao serviço da boa comunicação. Vá lá, pronto, conte-nos antes a senhora a sua anedota sobre o caso Sócrates. Não sabe nenhuma? Não acredito, peça ao seu filho ou filha, vai ver que eles a ajudam. Ou então... então peça uma piada de jeito aos milhões de portugueses anónimos, vai ver que eles sabem, vai ver que o seu pedido terá retorno, é que nós andamos imensamente voltados para o humor. Olhe, os Gato Fedorento, está a ver? Nem mais, aposto que das graçolas daqueles malandros para com o primeiro já gostou! Ou não? Não?... Bem, nesse caso... nesse caso, olhe, peça a suspensão do país. Então, adeus, sorria, mas cuidado, não o faça junto de José Sócrates quando este for aí à DREN visitá-la, não vá um qualquer seu colega pensar que a senhora está a rir-se jocosamente do nosso primeiro e vir a denunciá-la.

cumprimentos,

P.S. Caso não consiga mesmo sorrir com nada, mas mesmo nada, caso nem um esboço ínfimo lhe aflore a um canto dos lábios, deixo-lhe aqui uma proposta de leitura que talvez a possa ajudar: chama-se «De Boas Erecções Está o Inferno Cheio». Assina Luís Graça. Procure nas livrarias. A sério, olhe que não é graça. Experimente, vai ver que vai gostar.

1 comentário:

a.filoxera disse...

Suspenda o país todo, claro!
Ó qu'isto chegou!